terça-feira, outubro 07, 2008

Sobre as eleições em Itajaí (os números estão logo abaixo deste artigo)

O dia 5 de outubro ficou marcado em Itajaí pela forte rivalidade partidária que se formou ao longo do período eleitoral. Vídeos, agressões verbais, divulgação de grampos, parcialidade por parte de alguns membros da impressa (acho que isso só deixa de ser problema quando o veículo de comunicação ou o comunicador assume sua opção partidária, caso contrário vira manipulação. Nos EUA é comum os grandes jornais quem estão apoiando), suspeitas de pesquisas manipuladas...
Tudo parece ter terminado no dia 5 de outubro.
O que ficou então?
Os resultados.
Quais?
- Jandir Bellini eleito prefeito de Itajaí. O que confirma a seriedade das pesquisas feitas pelo Instituto de Pesquisa da UNIVALI.
- Todos os vereadores (exceto o Vequi) que concorreram a uma vaga na Câmara retornaram.
- As entrevistas do prefeito eleito Jandir Bellini logo após sua eleição não foram de guerra e sim de paz.
- Uma enorme preocupação com a intervenção do judiciário no legislativo e no executivo (grampos, processos, contradições...).

Mais ou menos isso.

De qualquer forma acredito que os quase 45 mil votos de confiança da população itajaiense ao Prefeito Volnei Morastoni (PT), tiveram o seguinte recado:
Prefeito, sua gestão nos agradou porque:
- A barragem construída para evitar a salinização foi uma grande obra;
- O centro de eventos da Marejada vai ser muito importante para o desenvolvimento do turismo de negócios;
- As obras de saneamento básico serão importantes para o desenvolvimento sustentável de nossa cidade;
- Transformar o sacolão em um cartão onde os funcionários e cidadãos possam comprar o que desejam foi pensar no próximo.
- Tirar as casas da invasão que estava se instalando no início da Contorno Sul próximo a BR-101, foi um compromisso enorme com a sociedade.
- Iniciar as obras de retirada da ocupação dos morros da comunidade Nossa Senhora das Graças é responsabilidade social;
- Reformar (Elias Adaime, Aníbal César, Gaspar da Costa Moraes), construir escolas e creches é pensar no futuro da cidade.
- Construir e reformar praças onde as crianças e adultos possam fazer atividades físicas, jogar, brincar, passear é importante para a integração das comunidades.
- Levar teatro e música aos bairros é pensar que cultura e conhecimento são para todos e não para poucos privilegiados.
- Pensou nos professores que estão em sala de aula e corrigiu a diferença salarial existente entre os professores de 1ª a 4ª série e os professores de 5ª a 8ª série...

Já os quase 54 mil eleitores que votaram em Jandir Bellini (PP), provavelmente mandaram os seguintes recados ao prefeito eleito:
Prefeito Jandir, votamos em você porque:
- Quando o senhor foi prefeito em Itajaí por 8 anos sua equipe de governo era integrada, pouco se sabia qual era o partido de um e outro, pois trabalhavam com um objetivo só.
- Queremos um prefeito que saiba ouvir mais os seus pares.
- Defendemos que grandes obras sejam construídas, pois delas depende o futuro da cidade, mas também não gostamos de ver nossas ruas cheias de lamas e buracos e nem nossos jardins abandonados.
- Gostamos que o debate político fique no campo das idéias e projetos e não das agressões verbais.
- Não queremos ver o Porto que é um patrimônio tão valioso para comunidade itajaiense envolvido em atos de corrupção e sendo manchado na mídia nacional.
- Quando o senhor foi prefeito a Educação tinha projetos e continuidade nos trabalhos.
- A dragagem do Saco da Fazenda foi fundamental para o retorno de atividades ligadas a pesca naquele local, mantendo viva a cultura de Itajaí.
- Queremos ver pessoas competentes e com vontade de trabalhar para a comunidade nas diferentes funções dos cargos públicos da Prefeitura.
- Que obras como o Píer de atracação de navios turísticos sejam construídas na cidade, objetivando o incremento desta atividade tão importante para a economia.
- Ao contrário do que muitos dizem, o asfalto/pavimentação das ruas e avenidas é importante sim pois é uma forma simples e eficaz de mostrar ao contribuinte a presença do poder público em sua rua e isso foi muito bem feito em seu governo.
- Desejamos que os prédios e casas populares que foram construídas em sua gestão, agora possam se multiplicar, pois muitas pessoas dependem desse compromisso.
- Que obras feitas em seu governo, como o alargamento de pontes (São Vicente, Cordeiros) e a construção de avenidas (Promorar, Rio Bonito, Cordeiros), continuem sendo feitas, pois são importantes para o bom funcionamento do sistema viário de Itajaí...

É isso...

Acredito que todos os cidadãos itajaienses agradecem neste momento o empenho do Prefeito Volnei Morastoni no período de sua gestão e de braços abertos recebem o Prefeito eleito Jandir Bellini, desejando lhe uma excelente gestão, digna de sua pessoa.

Valter Cardoso

domingo, outubro 05, 2008

Resultado das Eleições 2008 em Itajaí

Olá Pessoal... Saiu o resultado das eleições 2008 em Itajaí.
Para Prefeito ficou assim:
Jandir Bellini PP 53.871 53,31%
Volnei Morastoni PT 44.973 44,50%
Silvino Neto PSOL 2.211 2.19%

Prefeito de Itajaí eleito em 2008 - Jandir Bellini

O resultado para a Câmara de Vereadores ficou assim:
Maurílio Moraes - PDT - 3.972
Laudelino Lamim - PMDB - 3.047
Osvaldo Gern -PP - 3.026
Paulo M. Vicente - PDT - 2.769
Renato Ribas - PSDB - 2.659
Douglas Silva - DEM - 2.517
Suzi Bellini - PP - 2.447
Elói Camilo - PMDB - 2.149
Nikolas Reis - PT - 2.140
Luiz Carlos Pisseti - DEM - 2.116
Clayton Batschauer - PR - 1.195
Marcelo Werner - PCdoB - 1.909

A lista acima apresenta os candidados eleitos. A grande surpresa foi a saída do vereador Vequi que obteve apenas 1.772 votos. Os demais retornaram aos seus cargos.
Os novos vereadores na Câmara de Itajaí são:
- Osvaldo Gern
- Douglas Silva
- Suzi Bellini
- Marcelo Werner
- Renato Ribas
Está interessado em saber o resultado obtido pelos demais candidatos a uma cadeira na Câmara de Vereadores de Itajaí?
É só acessar:
(ATENÇÃO AO ACESSAR O LINK ABAIXO, ESCOLHA A CIDADE E NO MENU AO LADO VEREADORES)
http://www.clicrbs.com.br/eleicoes2008/apuracao/1turno/apuracao.html?abrangencia=SC

domingo, setembro 14, 2008

Despoluição do Tâmisa levou mais de 150 anos (Questão extra 8ª série)

Dos tempos do 'Grande Fedor' – como o Tâmisa ficou conhecido em 1858, quando as sessões do Parlamento foram suspensas por causa do mau cheiro – até hoje, foram quase 150 anos de investimento na despoluição das águas do rio que cruza a cidade de Londres.

Bilhões de libras mais tarde, remadores, velejadores e até pescadores voltaram a usar o Tâmisa, que hoje registra 121 espécies de peixe em suas águas.
Se a poluição começou ainda nos idos de 1610, quando a água do rio deixou de ser considerada potável, a despoluição só foi começar a partir de meados do século 19, na época em que o rio conquistou a infame alcunha com o seu mau cheiro.
A decisão de construir um sistema de captação de esgotos também deve muito às epidemias de cólera das décadas de 1850 e 1860.
Espinha dorsal
A infra-estrutura construída então continua até hoje como a espinha dorsal da rede atual, apesar das várias melhorias ao longo dos anos.
Na época, os engenheiros criaram um sistema que simplesmente captava os dejetos produzidos na região metropolitana de Londres e os despejava no Tâmisa outra vez, quilômetros abaixo.
Na época, a solução funcionou perfeitamente, e o rio voltou a se recuperar por alguns anos.
No entanto, com o crescimento da população, a mancha de esgoto foi subindo o Tâmisa e, por volta de 1950, o rio estava, mais uma vez, biologicamente morto.
Foi então que as primeiras estações de tratamento de esgoto da cidade foram construídas.

Volta do salmão

Vinte anos depois, em meados da década de 1970, o primeiro salmão – um peixe conhecidamente sensível à poluição – em décadas foi flagrado no Tâmisa.
Hoje, encontrar salmões no rio não causa mais nenhum espanto, mas ainda assim, a Thames Water, a empresa de saneamento de Londres, continua investindo pesado no sistema de esgoto.
"Desde 1989, quando a empresa foi privatizada, investimos mais de 1 bilhão de libras esterlinas (cerca de R$ 5 bilhões)", afirma Peter Spillett, diretor de Meio Ambiente, Qualidade e Sustentabilidade da Thames Water.
Com a credencial de responsável por um rio que há poucas décadas era tido como morto e hoje voltou a abrigar centenas de espécies, Spillett foi pessoalmente a São Paulo dar palestras sobre despoluição e conheceu o Tietê de perto.
"Essencialmente, o Tietê é muito poluído porque não há controle eficiente dos dejetos industriais e domésticos. Você tem montes de efluentes lançados nesse rio relativamente pequeno e, daí, ele está biologicamente morto."
Fonte da imagem:http://www.hoteliernews.com.br/HotelierNews

Meio Ambiente - Aquecimento Global (Questão extra 1º anos e Terceirão)

Queridos alunos... Estou postando um vídeo que discute o assunto "aquecimento global". Como um dos assuntos discutidos em sala de aula foi o meio ambiente/atmosfera achei pertinente colocar este vídeo para que vocês possam assistir.
Assistam com bastante atenção e depois dissertem sobre o assunto na avaliação...
Abraços
Valter Cardoso

video

Exploração de camada pré-sal pode colocar Brasil entre as 10 maiores reservas de petróleo do mundo (Questão extra 2º ano)

RIO - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, estima que o Brasil pode dar um salto no ranking dos países com as maiores reservas de óleo e gás no mundo caso se confirmem as estimativas preliminares sobre acumulações na camada de pré-sal no litoral brasileiro. De acordo com o executivo, o país, que atualmente ocupa o 24o. lugar entre as maiores reservas de óleo e gás no mundo, poderia passar para o oitavo ou nono lugar, posições hoje ocupadas por Venezuela e Nigéria, respectivamente. Em termos de incremento das reservas, o salto representaria um crescimento dos atuais 14,4 bilhões de barris de óleo equivalente para algo entre 70 bilhões e 107 bilhões de barris de óleo equivalente. O pré-sal é uma camada de reservatórios que se encontram em camada de sal que abrange o litoral do Espírito Santo a Santa Catarina, ao longo de 800 quilômetros de extensão por até 200 quilômetros de largura, em lâmina d ? água que varia entre 1,5 mil e 3 mil metros e soterramento entre 3 mil e 4 mil metros. Hoje, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decidiu retirar da Nona Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP) 41 blocos de exploração contidos na área do pré-sal.O diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, revelou que o primeiro bloco de exploração da Petrobras no pré-sal que entrará em operação está situado na área do Parque das Baleias, na Bacia de Campos, no litoral do Espírito Santo. As operações comerciais no local começarão em 2009. Sobre o campo de Tupi, que possui reservas entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de óleo equivalente, a expectativa de José Sergio Gabrielli é de que as operações comerciais comecem daqui a " cinco ou seis anos " . De acordo com Guilherme Estrella, um teste-piloto deverá ser feito na área em 2011, com a produção de 100 mil barris de óleo e gás.

Fonte do texto : http://economia.uol.com.br/ultnot/valor/2007/11/08/ult1913u78565.jhtm

Fonte da Imagem: http://oglobo.globo.com/fotos/2007/11/09/MVG_ECO_evolucao_petroleo.jpg

Pobreza diminui, número de ricos aumenta e classe média cresce, afirmam estudos do Ipea e da FGV

A pedido e observação de um leitor atento aí vai novas informações sobre a distribuição da renda no Brasil...
Dois estudos divulgados nesta terça-feira (5/08/08) mostram mudanças nas classes sociais brasileiras em seis regiões metropolitanas do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife. Um levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Avançadas) revela que o número de pessoas pobres -com renda igual ou inferior a meio salário mínimo- caiu de 35% para 24,1% no período de 2003 a 2008. Ao analisar a outra ponta da população, o levantamento mostra que o número de indivíduos pertencentes a famílias com renda mensal igual ou superior a 40 salários mínimos (R$ 16,6 mil) cresceu de 0,8% para 1%.

A expectativa para 2008 é que 11,3 milhões de pessoas estejam na linha da pobreza.
Em relação à classe média, um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que ela já representa mais da metade da população brasileira (51,89%); em abril de 2002, esse número era de 44,19%. A FGV define a classe média como famílias que possuem renda entre R$ 1.064 e R$ 4.591 (R$ 214 a R$ 923 durante o mês por pessoa). O estudo da FGV também revela que a elite -famílias com renda superior a R$ 4.591- cresceu: em abril de 2002 correspondia a 12,99% e em 2008 corresponde a 15,52%. Da mesma forma, a pesquisa revela que a pobreza diminuiu. Em abril de 2002, a taxa de "miseráveis e remediados" (que representam as classes "D e E"), como menciona a pesquisa, era de 42,82%, esse número diminuiu para 32,59% em abril de 2008.
A pesquisa da FGV levou em conta dados do Ministério do Trabalho e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Foto: Valter Cardoso - Comunidade Nossa Senhora das Graças - Itajaí

domingo, agosto 03, 2008

Alemanha: o melhor país nas olimpíadas

Isso mesmo... A Alemanha, é o melhor país das olimpíadas.
É claro que não pelo quadro de medalhas conquistadas, mas pelo grupo de atletas politizados que enviou para o maior evento esportivo do mundo.
A China tem sérios problemas com Taiwan, com o Tibet e com sua própria população.
O povo tibetano vem tentando maior autonomia e Taiwan quer se ver livre totalmente das ameaças do domínio chinês. Já o povo chinês sofre com a falta de
liberdade religiosa, de expressão, de comunicação e de justiça. A diversidade religiosa não é bem vista pelo partido comunista chinês (PCC). Do ponto de vista da ditadura chinesa a religião “influência” no comportamento das pessoas de maneira que interfere no interesse do país.
Com o lema “somos todos chineses” um grupo de nove atletas olímpicos da Alemanha fez fotos usando seus uniformes oficiais e segurando fotografias de dissidentes chineses na frente de seus rostos.
Estes atletas são pessoas que demonstram saber o que querem. Usam do prestígio, do momento, da fama, que eles tem para lutar por um ideal. Isso é muito AGRADÁVEL de se ver.
Fazia tempo que eu não via mais alguém com fama e prestígio envolver-se de uma maneira tão intensa numa causa político/humanitária.
Parabéns para esse grupo de atletas (já ganharam as olimpíadas)

sexta-feira, julho 25, 2008

1º Encontro das Agências de Publicidade de STR

No dia 29 de agosto estaremos fazendo o 1º Encontro das Agências de Publicidade da disciplina Sociedade e Trabalho de 2008.
O local será o auditório do Bloco de Farmácia as 10h e 30 min. Neste dia as Agências irão apresentar o seu vídeo publicitário criado para o cliente Colégio de Aplicação Univali.
Vale lembrar que o vídeo deverá ter de 30 a 60 segundos. A apresentação ocorrerá da seguinte forma:
1,5 minuto para que a Agência se apresente ao público (aproximadamente 250 pessoas).
1,5 minuto para falar do conceito que orientou a criação do material publicitário.
1 minuto para a apresentação do vídeo.
Valorize sua apresentação... Não esqueça que sua Agência estará sendo vista por muitos alunos e professores.

Mas antes de tudo não esqueça de fazer um bom Briefing (organize um bom checklist) com o cliente e depois um Brainstorm para que boas idéias alavanquem suas campanhas.
Sucesso

Valter Cardoso

terça-feira, junho 24, 2008

Efeito Estufa (Questão Extra Terceirão)

O Efeito Estufa é a forma que a Terra tem para manter sua temperatura constante. A atmosfera é altamente transparente à luz solar, porém cerca de 35% da radiação que recebemos vai ser refletida de novo para o espaço, ficando os outros 65% retidos na Terra. Isto deve-se principalmente ao efeito sobre os raios infravermelhos de gases como o Dióxido de Carbono, Metano, Óxidos de Azoto e Ozônio presentes na atmosfera (totalizando menos de 1% desta), que vão reter esta radiação na Terra, permitindo-nos assistir ao efeito calorífico dos mesmos. Nos últimos anos, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera tem aumentado cerca de 0,4% anualmente; este aumento se deve à utilização de petróleo, gás e carvão e à destruição das florestas tropicais. A concentração de outros gases que contribuem para o Efeito de Estufa, tais como o metano e os clorofluorcarbonetos também aumentaram rapidamente. O efeito conjunto de tais substâncias pode vir a causar um aumento da temperatura global (Aquecimento Global) estimado entre 2 e 6 ºC nos próximos 100 anos. Um aquecimento desta ordem de grandeza não só irá alterar os climas em nível mundial como também irá aumentar o nível médio das águas do mar em, pelo menos, 30 cm, o que poderá interferir na vida de milhões de pessoas habitando as áreas costeiras mais baixas. Se a terra não fosse coberta por um manto de ar, a atmosfera, seria demasiado fria para a vida. As condições seriam hostis à vida, a qual de tão frágil que é, bastaria uma pequena diferença nas condições iniciais da sua formação, para que nós não pudessemos estar aqui discutindo-a.
O Efeito Estufa consiste, basicamente, na ação do dióxido de carbono e outros gases sobre os raios infravermelhos refletidos pela superfície da terra, reenviando-os para ela, mantendo assim uma temperatura estável no planeta. Ao irradiarem a Terra, parte dos raios luminosos oriundos do Sol são absorvidos e transformados em calor, outros são refletidos para o espaço, mas só parte destes chega a deixar a Terra, em consequência da ação refletora que os chamados "Gases de Efeito Estufa" (dióxido de carbono, metano, clorofluorcarbonetos- CFCs- e óxidos de azoto) têm sobre tal radiação reenviando-a para a superfície terrestre na forma de raios infravermelhos.
Desde a época pré-histórica que o dióxido de carbono tem tido um papel determinante na regulação da temperatura global do planeta. Com o aumento da utilização de combustíveis fósseis (Carvão, Petróleo e Gás Natural) a concentração de dióxido de carbono na atmosfera duplicou nos últimos cem anos. Neste ritmo e com o abatimento massivo de florestas que se tem praticado (é nas plantas que o dióxido de carbono, através da fotossíntese, forma oxigênio e carbono, que é utilizado pela própria planta) o dióxido de carbono começará a proliferar levando, muito certamente, a um aumento da temperatura global, o que, mesmo tratando-se de poucos graus, levaria ao degelo das calotes polares e a grandes alterações a nível topográfico e ecológico do planeta.

sábado, junho 14, 2008

Urbanização do Mundo (Questão extra-segundos anos)

As primeiras cidades surgiram na Mesopotâmia (atual Iraque), depois vieram às cidades do Vale Nilo, do Indo, da região mediterrânea e Europa e, finalmente, as cidades da China e do Novo Mundo. Embora as primeiras cidades tenham aparecido há mais de 3.500 anos a.C., o processo de urbanização moderno teve início no século XVIII, em conseqüência da Revolução Industrial, desencadeada primeiro na Europa e, a seguir, nas demais áreas de desenvolvimento do mundo atual.
No caso do Terceiro Mundo, a urbanização é um fato bem recente. Hoje, quase metade da população mundial vive em cidades, e a tendência é aumentar cada vez mais. A cidade subordinou o campo e estabeleceu uma divisão de trabalho segundo a qual cabe a ele fornecer alimentos e matérias-primas a ela, recebendo em troca produtos industrializados, tecnologia etc. Mas o fato de o campo ser subordinado à cidade não quer dizer que ele perdeu sua importância, pois não podemos deixar de levar em conta que:

• Por não ser auto-suficiente, a sobrevivência da cidade depende do campo;
• Quanto maior a urbanização maior a dependência da cidade em relação ao campo no tocante à necessidade de alimentos e matérias-primas agrícolas.

Conceito
A urbanização resulta fundamentalmente da transferência de pessoas do meio rural (campo) para o meio urbano (cidade). Assim, a idéia de urbanização está intimamente associada à concentração de muitas pessoas em um espaço restrito (a cidade) e na substituição das atividades primárias (agropecuária) por atividades secundárias (indústrias) e terciárias (serviços). Entretanto, por se tratar de um processo, costuma-se conceituar urbanização como sendo "o aumento da população urbana em relação à população rural", e nesse sentido só ocorre urbanização quando o percentual de aumento da população urbana é superior a da população rural.
A Inglaterra foi o primeiro país do mundo a se urbanizar (em 1850 já possuía mais de 50% da população urbana), no entanto a urbanização a celerada da maior parte dos países desenvolvidos industrializados só ocorreu a partir da segunda metade do século XIX.
Além disso, esses países demoram mais tempo para se tornar urbanizados que a maioria dos atuais países subdesenvolvidos industrializados. Vemos, então, que, em geral, quanto mais tarde um país se torna industrializado tanto mais rápida é sua urbanização. Observe esses dados:
• Em 1900 existiam no mundo dezesseis cidades com população superior a 1 milhão de habitantes. Dessa, somente duas (Pequim e Calcutá) pertenciam ao Terceiro Mundo.
• Em 1950 havia vinte cidades no mundo com população superior a 2,5 milhões de habitantes. Dessas, apenas seis (Xangai, Buenos Aires, Calcutá, Bombaim, Cidade do México e Rio de Janeiro) estavam situadas no Terceiro Mundo. Observação: a cidade de São Paulo nem constava dessa lista.
• Para o ano 2000, as estimativas mostram que, das 26 aglomerações urbanas com mais de 10 milhões de habitantes, nada menos que vinte delas estarão no Terceiro Mundo. A maior aglomeração urbana mais populosa do mundo será a Cidade do México, com 32 milhões de habitantes, o equivalente à população da Argentina em 1990. São Paulo aparece como a segunda aglomeração urbana, com 26 milhões de habitantes.

Urbanização nos diferentes grupos de países
Considerando-se os vários agrupamentos de países, a situação urbana pode ser simplificada como mostramos a seguir. Países capitalistas desenvolvidos. A maior parte desses países já atingiu índices bastante elevados e, praticamente, máximos de urbanização. A tendência, portanto, é de estabilização em torno de índices entre 80 e 90%, embora alguns já tenham ultrapassado os 90%. Países capitalistas subdesenvolvidos. Nesse grupo, bastante heterogêneo, destacamos:
• Subdesenvolvidos industrializados. A recente e rápida industrialização gerou acentuado desequilíbrio das condições e da expectativa de vida entre a cidade e o campo, resultando num rapidíssimo processo de urbanização, porém com conseqüências muito drásticas (subemprego, mendicância, favelas, criminalidade etc.). Isso porque o desenvolvimento dos setores secundário e terciário não acompanhou o ritmo da urbanização, além da total carência de uma firme política de planejamento urbano. Alguns desses países apresentam taxas de urbanização iguais e até superiores às de países desenvolvidos, embora, com raras exceções, a urbanização dos países subdesenvolvidos se apresente em condições extremamente precárias (favelas, cortiços etc.).
• Subdesenvolvidos não-industrializados. Em virtude do predomínio das atividades primárias, a maior parte desses países apresenta baixos índices de urbanização. Países socialistas. Os países socialistas são relativamente pouco urbanizados. A razão fundamental está na planificação estatal da
economia, que tem permitido ao estado controlar e direcionar os recursos (investimentos), podendo assim exercer maior influência na distribuição geográfica da população. Os índices de população urbana dos países socialistas desenvolvidos são semelhantes aos do subdesenvolvidos industrializados.

China, Tibete e a hipocrisia internacional (Questão extra oitava série)

A história da humanidade é recheada de um elemento comum: A hipocrisia.
Os alemães são famosos pelas atrocidades cometidas nos campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. Contudo, poucos sabem que os campos de segregação foram uma idéia americana, aplicada a japoneses em seu território, e copiada por Hitler.
Os japoneses são famosos por sua honra em combate, pelo respeito aos idosos e pelo profundo sofrimento causado pelas explosões atômicas de Hiroshima e Nagasaki. Mas, pouca gente teve notícias das enormes carnificinas promovidas por eles, no mesmo conflito. Tropas japonesas executavam atos que iam desde seqüestro e escravização de civis e de vilas inteiras até a morte por inanição e tortura em seus próprios campos de execução. Além de obrigarem mulheres chinesas e de outros países asiáticos a prostituírem-se para “entreter” seus soldados e oficiais.
A então União Soviética torpedeou e afundou sem prestar socorro um navio de refugiados alemães que fugiam do caos final nazista. O desastre, que caiu no esquecimento da história dos perdedores, fez mais vítimas do que o do famoso Titanic (mais do que o dobro).
Sem mencionar que entre os milhões de Judeus mortos nos campos de concentração nazista; dezenas de milhares foram barrados, em sua fuga desesperada para países “aliados” e devolvidos (via deportação) para os nazistas.
Tudo isso, porque o que é contado; o que fica “valendo” para as gerações futuras é a história contada pela ótica dos vencedores. Você, por exemplo, jamais ouvirá um inglês assumir que seu Império exterminou milhares de pessoas na Índia, Paquistão e em suas colônias na Ásia e África. Apenas, para traficar escravos e tomar posse das riquezas naturais desses locais.
Nações que hoje posam de defensoras da “democracia” e da “liberdade” têm, como todo mundo, seu “pé na lama” da história. Pasmem; até nós os eternos “amigos de todo mundo”; temos nossa cota de atrocidades e crimes contra a humanidade em guerras (aprenda sobre a Guerra do Paraguai e o extermínio de 98% da população masculina daquele país). Nosso maior “herói” militar, adorava cavalgar a toda sobre uma multidão de civis e decapitá-los com seu sabre afiadíssimo.
Mais recentemente, a comunidade internacional se calou, olhou para o lado e fechou os ouvidos aos milhares de injustiçados e massacrados pelo regime chinês. Tudo em nome do “desenvolvimento” econômico da China. Na realidade, as grandes potências criaram esse universo paralelo onde à China é um país próspero e feliz; apenas para compensar a decadência econômica do maior mercado consumidor do mundo até então: Os EUA.
Com as previsões apocalípticas de uma “depressão” americana, a China transformou-se no novo “El Dorado” capitalista. Foi ignorado o massacre da população pobre; que foi obrigada a retirar-se de suas casas (onde vivia a gerações). O despejo de comunidades inteiras ao longo do rio Yang-Tsé-Kiang e do Huang-Ho; que foram obrigadas a habitarem cidades a quilômetros de seus lares natais e de suas raízes culturais em nome de um progresso voraz e que não se preocupa com o ser humano. E a vergonhosa situação do Tibete. Que começou com a caçada humana realizada a uma criança (o Dalai Lama); fato que deu origem a uma das maiores e mais espetaculares histórias de fuga de todos os tempos.
O desastre humanitário; é apenas superado pelo ambiental. O ar nas grandes cidades chinesas; chega a ser venenoso. Sem falar na contaminação das águas e do solo por metais pesados e resíduos industriais. Em nome desse “progresso” a China foi recebida de braços abertos pela comunidade internacional. Mas, como diz o velho ditado: “Pau que nasce torto; morre torto”. E com a China não foi diferente.
Agora, o mundo descobriu que a “ilha de harmonia”, nada mais era do que uma nação que extermina impiedosamente aqueles que não “rezam” pela sua cartilha. Descobriu (só agora?) que o ar no país é tão tóxico que determinadas provas dos Jogos Olímpicos poderão ser adiadas (fato inédito na história da competição), para não por em risco a vida e a saúde dos atletas.
Os recentes conflitos, com os revoltosos do Tibete, fizeram apenas aflorar o que a comunidade internacional e o governo chinês teimam em ignorar: A censura, a morte banal, a perseguição sistemática de inocentes e o extermínio de uma cultura milenar.
Como ocorreu ao longo de toda a história humana, o papel do bem, fica sempre com aquele que se presta mais ao benefício das elites econômicas ou políticas do momento. Hoje, a China ocupa um lugar de destaque nesse palco voraz e insaciável que devora os atores e espectadores igualmente
.

A importância do setor das rochas (questão extra primeiros anos)

Meio que devagar o setor de rochas ornamentais foi surgindo e ganhando espaço na economia nacional e marcando presença no calendário de feiras, a ponto de colocar o Brasil entre os países produtores e exportadores de maior destaque no mercado mundial. Não se realiza uma feira, não se produz uma máquina, não se faz negócios no segmento de pedras sem que o Brasil seja o centro das atenções.E quando o assunto é rochas o Brasil é presença obrigatória em qualquer feira do mundo, leia-se de forma incontestável o Espírito Santo.Responsável por mais de 50% de toda produção, beneficiamento e exportação nacional, os produtos capixabas são garantia em todas as feiras mundiais de qualidade, beleza e raridade de sua produção.São cerca de 600 variedades, cada uma mais representativa que a outra e destacando os estados brasileiros, como se cada amostra representasse uma pedaço da bandeira nacional.Nesse aspecto patriótico o Espírito Santo é muito mais representativo - e isso, aos poucos, sociedade e governo começam a descobrir. A própria sociedade capixaba agora é que começa a acordar para a importância desse segmento que emprega mais de 20 mil chefes de famílias nas cercas de 1,3 mil empresas de extração e beneficiamento instaladas nos 78 municípios do Estado.Cerca de 50 mil chefes de família, de forma direta ou indireta tiram o seu sustento através do setor de rochas no Estado. São os empresários do setor de rochas e seus empregados, fabricantes de máquinas, ferramentas, insumos, motoristas, as empresas de serviços de comércio exterior, alfandegários, advogados, contadores e uma infinidade de segmento do comércio e indústria.Sem contar que os empresários do setor de rochas, fabricantes de máquinas e ferramentas estão constantemente se especializando, realizando treinamentos, cursando línguas estrangeiras e viajando pelo Brasil e o mundo em busca de negócios, gerando receita a vários outros segmentos que parecem não ter nada a ver com o setor. Mas têm.O setor de rochas, o único a estar presente em todos os municípios capixabas é hoje o que paga salário decente a seus empregados e se apresenta como o de maior prosperidade para elevar o nome do Espírito Santo mundo a fora.Um outro fator de vital importância sãos as feiras de Cachoeiro de Itapemirim e Nova Venécia, e a de Vitória em fevereiro de 2003. Elas geram empregos temporários, contratam serviços emergenciais, lotam hotéis, bares, restaurantes, companhia aéreas e as agências de viagens faturam somas significativas.Nenhum outro segmento da indústria capixaba mexe tanto com a economia quanto o setor de mármore e granito. Empresários estudam, seus filhos estudam, viajam, criam oportunidades de negócios, adquirem carros de passeio e motos, caminhões para o transporte de sua matéria-prima, apartamentos, fazendas, casas de campo e veraneio, entre outras atividades.Não bastasse a geração de impostos e empregos, o setor movimenta milhões de dólares e reais, que garantem bancos com portas abertas. Além disso, é um dos principais clientes da Escelsa. É, indiscutivelmente, o segmento que mais tem a cara do Espírito Santo, um Estado com vocação para a exportação.Além de ser uma excelência na extração, beneficiamento e exportação de rochas, o Estado é ainda o mais importante fabricante de máquinas e equipamentos para o setor e o governo precisa urgentemente reavaliar as alíquotas de ICMS dessas indústrias, evitando que ocorra um colapso de insatisfação que possa trazer grandes prejuízos ao Estado, sobretudo às empresas de mármore e granito.

Fonte do texto: Revista Pedras da Editora Opinião
Fonte da imagem: Valter Cardoso

segunda-feira, abril 14, 2008

Crescimento populacional (Questão extra 2º e 3º ano do Ensino Médio)

Sem dúvida alguma, um dos assuntos que sempre despertaram debates calorosos, teorias e grande preocupação foi o crescimento populacional.Uma famosa teoria demográfica conhecida como Malthusianismo – elaborada no final do século XVIII pelo Pastor Protestante Thomas Robert Malthus - defende que o grande crescimento populacional seria a causa da pobreza por que passa boa parte da população mundial. Em oposição, a Teoria Reformista baseada nas idéias de Karl Marx, defende que a miséria é a causa da superpopulação. Mas afinal, quem está com a razão?Os teóricos afirmam que a taxa de fecundidade “ideal” é de 2,1 filhos por mulher. A explicação é simples: 2,0 filhos para substituir seus 2 pais que um dia irão morrer e, 0,1 filhos por mulher para cobrir a taxa de mortalidade infantil.No Brasil, atualmente esse índice é de 2,3 filhos por mulher o que já está muito próximo de proporcionar o equilíbrio populacional e, bastante próxima da taxa dos Estados Unidos que é de 2,0 filhos por mulher. Esses números levam nosso país a uma taxa de crescimento vegetativo anual de 1,3 % que já está próxima de ser considerada baixa.Ora, se a simples redução das taxas de fecundidade significasse melhoria das condições de vida da população, o Brasil já seria um país muito próximo de ser classificado como desenvolvido, o que está longe de ser realidade.E quais seriam as causas da redução das taxas de fecundidade na grande maioria das regiões brasileiras? Uma das principais é o intenso processo de urbanização por que passou o Brasil nas últimas décadas. Ao migrar do campo para as cidades, as pessoas passam a ter acesso a serviços públicos de saúde e educação. Também contribuiu a difusão do acesso à Previdência Social proporcionando através da aposentadoria, uma renda às famílias mais carentes. Isso desestimula a idéia de que para manter os pais quando deixassem de trabalhar seria necessário se ter um número maior de filhos, pois deles viria a única renda familiar.Parece absurdo mas estudos realizados na década de 70 do século passado indicam que as telenovelas ajudaram no encolhimento dos lares, pois a maioria delas exibia famílias de dois filhos, constituindo-se num padrão que acabou influenciando os casais.Entretanto, a redução do ritmo do crescimento populacional brasileiro com essa aparente proximidade da “taxa ideal”, esconde graves problemas e profundas desigualdades territoriais.A primeira delas é que em algumas regiões brasileiras pobres e afastadas como nos municípios de Bagre, no Pará, a média chega a 7,3 filhos por mulher, apesar de perder para as cidades de Tartarugalzinho e Pracuuba, ambas no Amapá, com índices superiores. Naquele município, algumas mulheres chegam a ter até 20 filhos durante sua vida fértil (cerca de um filho por ano).Outro aspecto é que as favelas atualmente são verdadeiras bombas populacionais prestes a explodir. O crescimento demográfico das mesmas é quase três vezes o da média brasileira. Estudos indicam que as causas são diversas: aumento da fecundidade, imigração, aumento da expectativa de vida, chegada de pessoas que tiveram seu padrão de vida reduzido e, acreditem, sexo como uma das formas principais de lazer. Esse conjunto de fatores pode levar a população que vive em favelas a atingir preocupantes 13,5 milhões de pessoas nos próximos anos.Se depois de todos os argumentos acima, algum leitor ainda estiver em dúvida sobre quem tinha razão (Thomas Malthus ou Karl Marx), sugiro uma visita a um bairro maceioense chamado Clima Bom que é um dos mais pobres e violentos da cidade. Fazia muito tempo que eu não via uma quantidade tão grande de crianças pelas ruas, boa parte delas ainda usando fraldas, além de gestantes por toda as partes.
Pelo jeito, Marx tinha razão.

Autor: Eduardo Frigoletto de Menezes
Fonte: http://www.frigoletto.com.br/Materias/opiniao0705.htm (site muito interessante sobre Geografia)

sexta-feira, abril 04, 2008

Análise do Filme Vida de Inseto (texto elaborado pela aluna Olívia de Jesus do EJA - CAIC - Itajaí - SC

Esse filme conta a história de várias formigas que são oprimidas e escravizadas pelos gafanhotos. Elas habitavam em uma ilha no começo que no começo havia água ao seu redor, mas com o passar do tempo a água secou, mesmo assim elas não tinham coragem para fugir e procurar a liberdade. Até que uma das formigas cansadas de ser oprimida e ver sua comunidade na mesma situação resolver arriscar e ir em busca de ajuda. Não foi fácil vencer, foi preciso muita determinação, perseverança e principalmente união. Em nossas vidas muitas vezes vivemos em algum tipo de ilha, seja ela profissional, pessoal etc. É importante perceber quando já podemos sair da ilha e vencer os obstáculos. Essa água pode ser o medo, a falta de coragem, o comodismo entre outros. É importante construir uma imagem sólida pois um homem defende a si mesmo, um líder defende seu grupo.

domingo, março 23, 2008

Atenção alunos... Vejam como fazer para baixar os textos do blog

Primeiro passo... Veja que na barra lateral do meu blog tem um tópico chamado de links importantes... Nesta parte escolha o texto que você está procurando.
Segundo passo... Ao clicar no texto que você está procurando vai aparecer uma página pedindo para que você digite umas letrinhas. Digite as letrinhas e aparecerá uma outra página.
Terceiro passo... Nesta próxima página (mais ou menos no meio) vai aparecer as palavras GO PREMIUM. Ao lado dessas palavras vai ter uma contagem regressiva de 15 segundos. Ao terminar a contagem vai aparecer um botão para baixar o arquivo. É isso aí... É só apertar o botão e baixar ou salvar o arquivo.
Abraços

sábado, março 22, 2008

Sociedade e Trabalho - Networking

Olá pessoal de Sociedade e Trabalho... Espero que já tenham baixado o texto que está no link na barra ao lado (estaremos discutindo o texto em sala).
Este vídeo irá complementar o texto que fala sobre Networking. É uma das palavras de ordem do momento no mercado de trabalho. Vale conferir.



quarta-feira, março 05, 2008

Globalização (texto elaborado pelo aluno Joel Ribeiro do EJA-CAIC)


Mais afinal o que significa essa tal globalização? Significa o início de uma nova era que veio para marcar o começo do novo milênio com a expansão comercial, industrial, tecnológica e cultural.
Com a globalização a produção em grande escala e com qualidade as vezes depende da fusão de duas ou mais empresas pois as mesmas possuem diferentes meios para se chegar ao sucesso. Esses meios são a matéria-prima, a infra-estrutura, a tecnologia e uma outra que é a mão-de-obra qualificada, onde surgem ótimos empregos para os qualificados ou desemprego por faltar conhecimento tecnológico. Por isso a formação pessoal e profissional é o primeiro passo para as pessoas fazerem parte deste mundo.
Na globalização os meios de comunicação estão a cada dia mais úteis e modernos, um exemplo disso são as TVs de plasma, os telefones celulares e a internet, que a cada momento está mais rápida e objetiva.
Os meios de transporte com agilidade e inovações tecnológicas fazem parte desse processo global encurtando distâncias em menos tempo possível aproximando as pessoas.
Ao mesmo tempo que ocorre o crescimento da globalização cria-se um dos maiores problemas da humanidade que é a poluição em larga escala, o que provoca o superaquecimento global que é sentido pelos seres humanos com o aumento do nível do mar e com as chuvas escassas ou temporais inesperados.
Será que não estaria falando um maior conhecimento no processo de globalização? Acho que sim e entre tantos conhecimentos para se discutir, um está relacionado a leitura. A leitura vai nos encher de conhecimento para vivermos esse momento da globalização, se não a globalização não será um sucesso e sim um caos.


Autor: Joel Ribeiro (aluno da Educação de Jovens e Adultos da Escola CAIC-Itajaí
Fonte da Imagem:www.enciclopedia.com.pt/images/221_post.jpg